CONVERSANDO COM CARUARU

LEIAM OS NOSSOS BLOGS

sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

Hospital Regional tem reforço para o período carnavalesco, no Agreste.

Foram contratados 30 enfermeiros e 60 técnicos de enfermagem.

Clínica médica, traumato-ortopedia e cirurgia geral também terão apoio.

Em Caruaru, Pernambuco, o Hospital Regional do Agreste contará com mais médicos para atender às especialidades de clínica médica, traumato-ortopedia e cirurgia geral, de sábado (1º) até a quarta-feira (5), período carnavalesco. Também foram contratados 30  enfermeiros e 60 técnicos de enfermagem para dar apoio.

A unidade de saúde tem aproximadamente 25 profissionais, somando os das especialidades de clínica médica, cirurgia geral, traumato-ortopedia, anestesia, clínica médica, radiologia e cirurgia buco-maxilo-facial, em dias normais. As informações são da assessoria de imprensa do HRA. A iniciativa é da a Secretaria Estadual de Saúde (SES) para atender à demanda dos serviços de saúde da região nesta época.

De acordo com o diretor do hospital, José Bezerra, o HRA atende à alta complexidade e os grandes traumas (baleados, feridos com objetos cortantes e vítimas de acidentes de trânsito) . "Em casos mais simples, como diarreias, viroses, resfriados, grande ingestão de álcool e mal- estar, os pacientes devem se dirigir à Unidade de Pronto Atendimento (UPA), às policlínicas ou aos postos médicos localizados nos focos de folia", explicou.

Do G1 - Caruaru.

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

Ypiranga não faz dever de casa e retorna à Zona de Rebaixamento.



Imagem divulgação da FPF
O Ypiranga continua sem emplacar uma sequência de vitórias. E permanece sem conseguir pelo menos uma vitória dentro de casa, neste ano de 2014. Ontem, a Máquina de Costura mais uma vez não fez uma grande apresentação e voltou a amargar um empate com sabor de derrota diante da equipe do Serra Talhada. O jogo no Otávio Limeira acabou empatado em um tento. 


O Azulão do Agreste voltou a mostrar sinais de oscilação neste Certame Estadual. Vinha de uma grande exibição no Carneirão onde derrotou domingo passado o Vitória por dois a zero. 


A torcida do alviazulino esperava que ele tivesse feito as pazes com a vitória, mas não foi o que aconteceu. Apenas conseguiu um empate a duras penas no Otávio Limeira nessa quarta-feira(26), inclusive num lance duvidoso em que Luís Felipe do Serra Talhada deu um mergulho de cabeça e tirou uma bola rasteira cruzada para a área, o árbitro entendeu que houve toque de mão e marcou o pênalti. Aos 36 da etapa complementar Rodolfo mostrou categoria e converteu a penalidade máxima, empatando a partida. 


O gol do Serra Talhada foi marcado quatro minutos antes quando o artilheiro Júnior Juazeiro aproveitou um momento de indecisão da zaga da Máquina e fuzilou o meta de Ádson decretando a abertura do marcador.


Os lances mais agudos do jogo aconteceram nessa sequência. Aos 08 do primeiro tempo quando Maneco escorregou dentro da área, sendo atrapalhado por Rodolfo e desperdiçou a primeira grande chance de abrir o marcador. Logo em seguida, num desvio de cabeça de Bebeto, deixou livre o atacante Jordão que bateu pra fora e perdeu a chance de marcar para o Serra Talhada.


Aos 17 o time sertanejo quase marca em três oportunidades. O goleiro Ádson inspirado praticou milagres. O troco do Ypiranga aconteceu aos 25 quando Rodolfo bateu rasteiro do lado direito, bola descreveu uma curva, mas o goleiro Carlos de ponta de dedos salvou mandando para escanteio.

Um minuto depois o centroavante Rodolfo voltava a incomodar a meta do goleiro Carlos com uma cabeçada fulminante que explodiu no travessão da meta do time sertanejo. E o primeiro tempo terminou sem maiores emoções.


Logo no início da etapa complementar o artilheiro Júnior Juazeiro bate prensado e quase marca para o time de Lampião. Tres minutos depois Dilson acerta uma bomba da intermediária obrigando Carlos a praticar uma grande defesa.


O atacante Rodolfo numa bola despretenciosa que prensou na defesa subiu e ia caindo no ângulo superior esquerdo e Carlos fez uma defesa espetacular. E o último lance de emoção do jogo aconteceu aos 47 minutos quando Cássio quase marca um gol olímpico salvo pelo goleiro Ádson.


Com o resultado o Serra perdeu uma posição e agora é o terceiro colocado no Hexagonal da Permanência, com 08 pontos ganhos, atrás do  América que assumiu a vice liderança  também com os mesmo 08 pontos, mas ganha nos critérios de desempate. O Pesqueira continua líder com 10 pontos. O Ypiranga foi ultrapassado também pelo Chã Grande com os mesmos 06 pontos, mas fica na frente pelos critérios de desempate. A equipe de Santa Cruz do Capibaribe voltou a Zona de Rebaixamento ao lado do  Vitória que ocupa a lanterna com apenas um ponto.  


O Ypiranga empatou atuando com Ádson, Maneco, Égon, Toninho e Fernando; Dilson (Dedimar), Jéfferson Piauí (Piuba), Wilker e Éder (Thauan); Rodolfo e Manu. Técnico Reginaldo Sousa.


O Serra Talhada jogou e empatou com Carlos, Diogo, Álisson, Rony e Nilson; Luciano Totó, Bebeto (Cássio), Tobias (Douglas) e Ricardinho; Júnior Juazeiro e Jordão (Luís Felipe). Técnico Edson Leivinha.


Dirigiu a partida com um trabalho aceitável Émerson Luiz Sobral com assistências de Elan Vieira e Francisco Chaves Bezerra Jr. O quarto árbitro foi Wélson Pereira da Silva. A renda e o publico não foram fornecidos.


Agora em função do Carnaval o Campeonato fica paralisado e as equipes só retornam as atividades no dia domingo 09 de março quando será realizada a 6ª Rodada com os seguintes jogos programados: Pesqueira X Serra no Joaquim de Brito. Chã Grande X Vitória no Carneirão e América X Ypiranga no Ademir Cunha em Paulista.

terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

Van capota deixando vários mortos e feridos em Venturosa, no Agreste.

Corpo de Bombeiros e Polícia Militar registraram dez mortes no acidente.

Hipótese da PM é de que van transportava trabalhadores da zona canavieira.

Na noite desta segunda-feira (24), uma van capotou na BR-424, em Venturosa, no Agreste pernambucano. A Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros registraram dez mortes e informaram que várias pessoas ficaram feridas. Elas foram encaminhados a hospitais da região.

Os números ainda são contabilizados pelas instituições ligadas à segurança, porém, possivelmente até 20 pessoas estavam no veículo. Ainda segundo a PM, outra hipótese é de que os passageiros eram trabalhadores da zona canavieira de Alagoas - a van vinha do sentido Garanhuns para Arcoverde. As possíveis causas do acidente estão sendo apuradas.

Do G1 Caruaru.

GRAVE ACIDENTE EM VENTUROSA COM UMA VAN MATA 14 PESSOAS.


Foi por volta das 20h de ontem no sítio Carrapateiras município de Venturosa, um veículo Sprinter com placa da cidade de Princesa Isabel/PB, que transportava cerca de 25 trabalhadores rurais do município de Betânia-PE com destino a cidade de Cururipe/AL, capotou no Km 35. 

O acidente vitimou fatalmente cerca de 14 pessoas que estavam no referido veículo e a maioria era de trabalhadores rurais que se deslocavam do município de Betânia-PE.


A reportagem da Rádio Itapuama apurou que as vítimas fatais são nove homens e uma mulher. Todos ainda sem identificação. Os corpos foram removidos para o IML de Caruaru.

Ainda quatro pessoas feridas foram removidas para a Unidade Mista Justa Maria Bezerra, em Venturosa. Outros seis foram removidos para o Hospital Regional de Arcoverde com possibilidade de transferência para Hospitais de Caruaru e Recife.

As informações e imagem foram atualizadas e gentilmente cedidas por Gilson Martins II – Jornalista e Repórter da Rádio Cardeal AM da cidade de Arcoverde.
 

segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

Prefeitura afirma que piso já é pago em Caruaru e que pode entrar na Justiça

Imagem Jornal Extra.

Ilegalidade da greve pode ser solicitada ao Tribunal de Justiça do estado.

Para resolver impasse, secretário de Administração já contatou o Sismuc.

No Agreste, a Prefeitura de Caruaru informa que pretende pedir ao Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) a ilegalidade da greve dos professores, que começou nesta segunda-feira (24) e pode durar 30 dias e ser prorrogada por mais 30. O Sindicato dos Servidores Municipais de Caruaru e Região Agreste Central (Sismuc Regional) afirma que há profissionais recebendo R$ 1.469 e reivindicam o pagamento do piso nacional, além das gratificações que estariam somadas a este valor.
Aquele salário é pago a professores cuja carga horária é menor, segundo a prefeitura. “O valor estabelecido para o piso nacional do magistério público refere-se a uma jornada mensal de 200 horas/aulas. Os professores que trabalham menos que isso, recebem proporcionalmente. No caso citado pelo Sismuc, o professor possui jornada de 150 horas/aulas. É o caso específico de um professor do fundamental 1 (professor multidisciplinar) com uma única turma (jornada parcial de trabalho)”, diz a assessoria do Poder Executivo. Para resolver o impasse, o secretário Antônio Ademildo da Silva, da pasta de Administração, já entrou em contato com o Sismuc.

Para Eduardo Mendonça, presidente do sindicato, o valor é realmente para professores com 150 horas/aulas, porém, foi somado às gratifições. Isto, segundo a Lei Federal de número 11.738, não poderia desde 2009.

'Escolas funcionaram precariamente'.
Ainda de acordo com Eduardo Mendonça, presidente do Sismuc Regional, “hoje, quase 90% das escolas funcionaram precariamente”.
 Ele adiantou que ficaram sem aulas instituições como o Colégio Municipal Professora Laura Florêncio, Escola Municipal Professora Josélia Florêncio da Silveira, Escola Municipal Professor Machadinho e Colégio Municipal Álvaro Lins.

Porém, no início da tarde, a Secretaria Municipal de Educação afirmou que visitou escolas e que “pouquíssimos professores juntaram-se ao movimento, mas, no período da manhã, nenhum professor aderiu à greve na maioria das unidades de ensino, a exemplo das escolas: Casa do Trabalhador, José Leão, Sinhazinha, Santos Anjos, Cristina Tavares, Dom Antônio (Monte Bom Jesus), Nossa Senhora de Fátima, Josélia Florêncio, Joel Pontes, Genésio Campos, entre outras”.

A secretaria orienta que pais e responsáveis levem as crianças às escolas e Centros Municipais de Educação Infantil, “pois as unidades educacionais vão funcionar normalmente para que não haja comprometimento do ano letivo. Ainda, que os mesmos entrem nos prédios e se informem com colaboradores das escolas, para que não sejam repassadas informações incorretas”. 

Segundo o Sismuc Regional, se ocorrerem aulas, será com junção de turmas – formando um público de 60 a 80 alunos – e isso pode prejudicar o aprendizado.

Por fim, a assessoria da prefeitura informou ao G1 que “a secretaria reconhece que o estado de greve é democrático e, por isso, acredita também na possibilidade do diálogo”.

Entenda o caso
 
Professores municipais efetivos decidiram fazer greve a partir de uma assembleia realizada no dia 18. Reunindo cerca de 200 profissionais, eles optaram pela deflagração nesta segunda-feira (24). A pausa nos trabalhos pode durar 30 dias e ser prorrogada por mais 30. Eles reivindicam o piso salarial já com o ajuste de 8,32% anunciado pelo Ministério da Educação no dia 29 de janeiro, o que faz o valor ficar em R$ 1.697.

Segundo o Sindicato dos Servidores Municipais de Caruaru e Região Agreste Central de Pernambuco (Sismuc Regional), atualmente há professores recebendo R$ 1.469 - o valor já estaria com as gratificações, sendo que estas deveriam ser apenas complementos ao piso. O presidente do sindicato, Eduardo Mendonça, afirma que, de terça até a sexta-feira (21), ninguém da prefeitura tinha se disposto a falar, mesmo tendo sido avisada sobre a parada.

Do G1 Caruaru.

Greve dos professores deixa mais de 35 mil alunos sem aula em Caruaru

Foto: Reprodução Internet

Os alunos da rede pública de Caruaru, no agreste do estado, estão sem aulas nesta segunda-feira (24), devido à greve dos professores. A categoria parou as atividades para reivindicar o reajuste de 8,32%, que a prefeitura do município não repassou para os docentes, e melhores condições de trabalho.

Os professores prometeram parar as atividades pelos próximos 30 dias. Caso a prefeitura não repasse o reajuste, a categoria pode prorrogar a paralisação para mais 30 dias.

A decisão de cruzar os braços foi decidida na última terça-feira (18) durante uma assembleia.  No dia que a greve foi deflagrada, os docentes realizaram uma caminhada pela cidade para chamar a atenção da população para as reivindicações.

NE10.

Ypiranga fatura “jogo de seis pontos” e sai da Zona de Rebaixamento.





Vitória X Ypiranga protagonizaram ontem à tarde no Severino Cândido Carneiro em Vitória de Santo Antão o Jogo dos Desesperados. No final da partida deu Ypiranga que foi sempre superior, mesmo jogando na casa do adversário.

A Máquina de Costura derrotou o Tricolor das Tabocas pelo placar de 2 X 0. Os gols foram marcados na etapa complementar de partida. Com a vitória, o Ypiranga saiu da Zona de Rebaixamento. O Ypiranga chegou aos 05 pontos, a mesma pontuação do América, mas ganha no saldo de gols, tem 1 tento, enquanto que o Periquito está com o saldo zerado.


O primeiro tempo de partida foi equilibrado e sem muitas emoções. Logo no início do jogo o lateral esquerdo do Ypiranga assustou a meta do goleiro Preto do Tricolor das Tabocas, batendo um chute cruzado com a perna direita que passou rente ao poste direito, perdendo a grande oportunidade de inaugurar o marcador.

Depois disso o jogo foi truncado no meio campo com as defesas de ambas as equipes se sobressaindo. Só aos 40 minutos o Vitória levantou a galera quando Kleytinho recebeu uma bola em profundidade livre pela esquerda, mas estava impedido, na saída do goleiro Ádson guardou no fundo da meta do Ypiranga, entretanto foi pilhado pela bandeirada de Karla Renata que invalidou o gol do Tricolor.


Aos 15 minutos o meia Índio do Vitória cobra uma falta com maestria da intermediária. Manda um torpedo  rasteiro no canto esquerdo e obriga Ádson a praticar uma grande defesa, esplamando a bola que ainda chocou-se com o poste e saiu pela linha de fundo em esquinado.


No segundo tempo só deu Ypiranga depois das mudanças dos treinadores. Após várias investidas da Máquina do Interior sem sucesso aos 22 minutos o meia Wilker foi derrubado dentro da área por Aguimeron e o árbitro marcou pênalti e aplicou o cartão amarelo no defensor do Vitória. Como o atleta do Tricolor continuou reclamando da arbitragem recebeu o segundo cartão amarelo e foi expulso da partida. O atacante Rodolfo com categoria bateu no canto direito e o goleiro Preto caiu no lado oposto, decretando a abertura do marcador no Carneirão para o Ypiranga.

Aos 30 minutos numa jogada de velocidade em contra ataque pela esquerda e aproveitando-se do fato de estar com um homem a mais, o lateral Antônio Carlos passou pelo seu marcador e na saída do goleiro Preto faturou o segundo tento da Máquina do Interior, decretando números finais no marcador do Carneirão. 


Aos 36 em jogada aguda de ataque Thauan em duas oportunidades seguidas obriga o goleiro Preto a fazer milagres, salvando a meta do Tricolor das Tabocas.


Aos 39 era a vez do Vitória contragolpear e o zagueiro Toninho em cima da linha salvou aquele que seria o tento de honra da equipe do Vitória.


Aos 42 minutos, o lateral Antônio Carlos foi batido no lance e como alternativa agarrou o meia Índio do Vitória. Como já havia sido advertido anteriormente com um cartão amarelo, recebeu o segundo e foi expulso.


Esta partida marcou a estreia do treinador Adelmo Soares profundo conhecedor do futebol de Pernambuco e que assumiu a vaga de Peu Santos que voltou a  assumir à Coordenação Técnica do Tricolor das Tabocas.


O Ypiranga ganhou de Ádson, Maneco, Égon, Toninho e Antônio Carlos; Dilson, Jéfferson Piauí, Wilker e Laércio (Thauan); Rodolfo e Leandro Bispo (Binha) e posteriormente (Fernando). Técnico Reginaldo Sousa.


O Vitória perdeu de Preto, Escuro (Alexandre Lima), Cláudio, Diego Padilha e Cris (Joel); Aguimeron, Fabinho Vitória, Dudé e Índio; Alan Rocha (Fábio Faquinho)  e kleytinho. Técnico Adfelmo Soares Brito.


Dirigiu a partida com um bom trabalho Sebastião Rufino Ribeiro Filho com assistências de Wlademir de Souza Lins e Karla Renata Cavalcanti de Santana. O quarto árbitro foi Idelvânio Antônio Cavalcanti de Lima.


Um pequeno público compareceu as dependências do estádio Severino Cândido Carneiro proporcionando uma arrecadação de R$ 2.282,00 para um público de 326 pessoas pagantes.


Com a derrota o Vitória continua segurando a laterna com apenas 01 ponto ganho e o Ypiranga saiu da Zona de Rebaixamento. Agora é o quatro colocado com 05 pontos, a mesma pontuação do América que perde nos critérios dedesempate e agora assumiu a quinta colocação do Hexagonal da Permanência.


Na próxima quarta-feira (26) O Ypiranga retorna a campo para enfrentar o Serra Talhada no Otávio Limeira pela 5ª Rodada do Hexagonal da Permanência, enquanto que o Vitória vai até a cidade da Renda e do Doce enfrentar o Pesqueira no Joaquim de Brito.


Depois do jogo o técnico Reginaldo Sousa com euforia falou da vitória da sua equipe na casa do adversário...

domingo, 23 de fevereiro de 2014

Fim da sequência: com time 'reserva', Sport só empata com o Central na Ilha

Neto Baiano segue inspirado: sete gols em seis jogos (Foto: Aldo Carneiro / Pernambuco Press).

Quase todos os titulares poupados para o confronto decisivo da Copa do Nordeste, Leão perdeu o embalo de cinco vitórias consecutivas.

Desfigurado, o Sport deu a falsa impressão de que manteria o mesmo padrão e embalo dos últimos jogos, quando emplacou cinco vitórias consecutivas entre o Campeonato Pernambucano e a Copa do Nordeste. Mas depois de um início de jogo sufocante, permitiu a reação do Central. O técnico Eduardo Baptista pagou o preço - certamente muito bem calculado - de priorizar o Nordestão. Com apenas dois titulares, o volante Rodrigo Mancha e o centroavante Neto Baiano, o Leão apenas empatou com o Central em 1 a 1 na noite deste sábado.

Uma Ilha do Retiro morna - as prévias de carnaval ajudaram a esfriá-la - viu o primeiro tropeço da “era Eduardo Baptista”, até então embalado com 100% de aproveitamento. Viu também o Sport voltar a levar um gol após cinco partidas. E a estreia do zagueiro paraguaio Meza. Tanto ele quanto o meia uruguaio Robert Flores, em seu segundo jogo - o primeiro como titular - foram apenas discretos. Ambos oscilaram bons e maus momentos.

Apesar do resultado, o Sport segue numa situação confortável no Hexagonal do Segundo Turno do estadual. Com 7 pontos, só pode ser alcançado por Salgueiro ou Santa Cruz, que se enfrentam neste domingo no Sertão. O Leão, porém, na pior das hipóteses, dividirá a liderança com um jogo a menos. Já o Central chegou a 3 pontos e, pelo menos momentaneamente, deixou a lanterna para o Náutico - com dois jogos a menos que o Alvinegro. O Alvirrubro recebe o Porto na Arena Pernambuco, neste domingo.

Sport x Central - Flores (Foto: Aldo Carneiro / Pernambuco Press) 
Uruguaio Flores teve alguns lampejos, mas foi discreto em campo (Foto: Aldo Carneiro / PE Press).
 
O Sport volta a campo nesta terça-feira contra o CSA, em Maceió, no segundo jogo pelas quartas de final da Copa do Nordeste. Na Ilha, o Leão venceu por 2 a 0. O próximo compromisso pelo Pernambucano é o clássico contra o Santa Cruz, no dia 6 de março. Na véspera, o Central faz o clássico de Caruaru com o Porto.

Gol e deperdício rubro-negro

Bastaram sete minutos para Neto Baiano mostrar por que exigiu estar em campo. O primeiro gol rubro-negro foi a consequência natural de um time que, mais uma vez, entrou em campo com fome. A sequência dos primeiros 11 minutos resume-a. Aos 5, Neto Baiano mandou um foguete da entrada da área, e a bola passou raspando no ângulo do goleiro André.

Dois minutos depois, o camisa 9 não perdoou. Gol típico de centroavante. Apenas dois toques  na bola. Um para ajeitá-la, outro para endereçá-la. Mérito também do volante Ronaldo pela chegada surpreendente ao ataque. Foi dele o passe para o sétimo gol de Neto nos últimos seis jogos. Aos 11, Robert Flores perdeu a chance de ampliar em mais uma boa descida do ataque rubro-negro.

A bola queimava no pé do Central, acuado em seu campo de defesa. Só aos 18 minutos, em um lance sem qualquer perigo no meio de campo, o Alvinegro conseguiu trocar passes por uma fração de tempo razoável. O time caruaruense nitidamente sofreu com a marcação sob pressão do Sport.

Tanto que o goleiro Saulo só deixou de ser espectador aos 22 minutos. As duas únicas chegadas do Central levaram perigo. Primeiro, uma falta cobrada por Diego Góis, que desviou pelo meio do caminho e exigiu boa defesa do goleiro rubro-negro. Depois, um chute de Tallys. Saulo apareceu bem outra vez. Do outro lado, o Sport teve mais três lances perigosos. No mais evidente, João Paulo salvou uma cabeçada de Meza em cima da linha.
Mudança de cenário

Tivesse aproveitado as oportunidades, o Sport teria descido para o intervalo com uma tranquilidade de fato. Porque apesar dessa sensação, o placar de 1 a 0 tornava o sentimento traiçoeiro. Tanto que parece ter contagiado os rubro-negros. No início do segundo tempo, o cenário do jogo mudou drasticamente. Aos 2 minutos, Edson Di por pouco não empatou. A cabeçada tirou tinta da trave.

Dois minutos depois, gol. Danielo Pires invadiu a área do Sport pela direita e viu muito bem a chegada de Jean pelo meio. O lateral-esquerdo, cria da base rubro-negra, finalizou de primeira. A bola passou por baixo de Saulo. Empate merecido. Ainda no primeiro tempo, o Leão já havia diminuído o ritmo nos últimos 15, 20 minutos.

Foi o primeiro gol sofrido pelo Sport depois de cinco partidas. Justo quando o time entrou em campo sem o goleiro Magrão e o xerife Durval, os dois pilares do sistema defensivo. Durval, por sinal, pode se vangloriar de ainda não ter visto a equipe tomar gol com ele em campo.

Aos 6 minutos, Eduardo Baptista acionou o garoto Everton Felipe, revelação de apenas 16 anos, no lugar de Sandrinho. Depois, o experiente volante Wendel estreou ao substituir Mancha. O decorrer da segunda etapa, porém, confirmou a mudança de cenário dentro das quatro linhas. Em nenhum momento, o Sport conseguiu exercer o mesmo domínio visto naqueles 20 primeiros minutos de jogo. Com o time da casa desencontrado, o Central continuou à vontade. Mas também parou de incomodar.

Do lado do Sport, um chute de fora da área de Robert Flores, outro de Everton Felipe. Uma finalização para fora de Neto Baiano. E só. Faltou criatividade, volume de jogo para ganhar. Aos 41, Felipe Azevedo ainda arrancou o último suspiro das arquibancadas. Após jogada individual, bateu firme de fora da área e acertou o travessão. Um castigo para os mais de 12 mil rubro-negros que, na noite deste sábado, escolheram ver futebol no estádio em vez de pular carnaval.

Por Recife - GLOBOESPORTE.